sexta-feira, 17 de junho de 2016

Os primeiros dentinhos

O surgimento dos primeiros dentinhos nos deixam cheias de dúvidas e insegurança... Principalmente para as mamães e papais de "primeira viagem".
Os primeiro dente do Henrique apareceu com quase 7 meses...e em pouco tempo surgiram mais 4 ...e estamos indo para o sexto!!!

O uso de pomadas com anestésicos locais podem aliviar os sintomas, bem como o uso de analgésicos em algumas situações bem específicas, eu utilizei algumas pomadinhas e a clássica camomila C....

Assim que a dentição de leite se completa, ela permanece assim até os seis anos, quando nasce o primeiro molar permanente. Antes dos 6 anos é importante que já ocorram os diastemas entre os dentes de leite, que são espaços que ajudam os dentes permanentes a encontrar lugar nas arcadas para conseguir erupcionar.

Desenvolvimento dos primeiros dentes

Os primeiros dentes de leite a erupcionar são os incisivos centrais inferiores, por volta dos 6 meses de idade, seguindo-se os incisivos centrais superiores e os laterais (já perto do 12º mês). Por volta dos 18 meses erupcionam os primeiros molares de leite, e aos dois anos e meio, em média, a erupção dos dentes de leite fica completa com os caninos e segundos molares, perfazendo os 20 dentes que constituem a dentição de leite.

Embora os casos de não formação dos dentes de leite sejam muito raros, as "anodontias", como são chamadas, podem ocorrer e serem parciais ou totais. Existem também bebês que podem apresentar algum dente já ao nascimento ou poucos dias depois de nascer, chamado de dentes natais ou neonatais. É fundamental que um especialista avalie seu filho, pois vários aspectos precisam ser considerados. Se o dente apresentar mobilidade, existe o risco de o bebê aspirá-lo, sendo assim indicada sua remoção. Caso não possua mobilidade, o dente poderá ser mantido, devendo os pais se preocupar com a higienização rotineiramente.

O desenvolvimento dos dentes de leite começa nas primeiras semanas de vida intrauterina, sendo importante a gestante ter um cuidado com a saúde e uma dieta adequada, uma vez que tudo isso influencia no desenvolvimento do seu bebê. A erupção dos dentes de leite é uma fase muito especial e um momento em que o bebê sofre uma série de mudanças físicas, psicológicas e de comportamento, pois ele está recebendo novas opções de alimentos, uma vez que a erupção dos dentes acaba coincidindo com a fase de introdução de novos alimentos além do leite.

Estas mudanças comportamentais estão relacionadas com descobertas de sensações táteis diferentes por causa dos dentinhos, novas brincadeiras e até alguma independência da mãe, pois a criança pode liberar sua agressividade com o ato de morder, mastigar e se alimentar.

Sintomas comuns da erupção dos dentes de leite

A vinda dos dentes é uma ocorrência natural e fisiológica e alguns distúrbios podem aparecer nesse período, mas nem sempre estão relacionados com a erupção dentária, existindo então, controvérsias entre médicos e dentistas no que se refere aos sintomas gerais acompanhando esse processo. O que pode ser observado nos bebês são irritabilidade, salivação aumentada, febre, diarreia, gengivite, redução do apetite, erupções cutâneas, tosse e vômitos, corrimento nasal, apatia e perturbações gastrointestinais.

Ocorrem sintomas como a "coceira" gengival, devido à pressão dos dentes na gengiva, deixando a criança irritada, chorosa e com sono agitado. Nessa fase o bebê passa a ficar mais tempo com os seus brinquedos pelo chão e acaba colocando a mãozinha na boca mais vezes por causa do desconforto gengival. Esta pode ser a causa das diarreias, vômitos e febre.

Também é comum o bebê começar a babar nessa época. Essa salivação excessiva pode estar relacionada ao incômodo da erupção dentária e também à maturação das glândulas salivares (que ocorre por volta do sétimo mês de vida), e que aumentam sua viscosidade e dificulta que o bebê engula toda a saliva produzida.

Esses sintomas são temporários e podem desaparecer em algumas semanas, assim que os dentes irrompem na cavidade bucal. É imprescindível que os pais compreendam esse processo, fiquem calmos e tomem as medidas necessárias para que as crianças passem por isso sem grandes agitações.

Como aliviar o desconforto do bebê?

Oferecer mordedores é a melhor opção para trazer alívio para a "coceira" gengival, podendo ser colocado na geladeira antes para que o frio tenha uma ação calmante sobre a gengiva irritada. Caso o bebê não aceite os mordedores, uma fralda de pano molhada com o suco que ele gosta e gelado pode ser uma saída. Também pode ser usada uma dedeira para massagear a gengiva ou a introdução de alimentos mais duros.

O uso de pomadas com anestésicos locais podem aliviar os sintomas, bem como o uso de analgésicos em algumas situações bem específicas, sempre com o acompanhamento de um profissional (odontopediatra ou pediatra).

Cuidados de higiene com os dentes de leite

Com o início da erupção dos dentes de leite devemos ter muita atenção com a higiene bucal do bebê. Pode ser usada uma gaze ou fralda embebida em água filtrada pelo menos três vezes ao dia nos dentinhos, gengiva, bochecha e língua. Com a erupção dos molares de leite, os dentes posteriores, é importante introduzir o uso de uma escova dental com cabeça pequena e cerdas bem macias para limpar as superfícies dentárias. Não se recomenda o uso de cremes dentais com flúor, pois a deglutição de flúor pode ser tóxica.

Um dente recém erupcionado (mesmo os permanentes) não está totalmente mineralizado e está mais susceptível a processos de cáries, por isso, merece muito mais cuidado. É aconselhável evitar contatos salivares com beijinhos na boca, assoprar o alimento ou usar a mesma colher do bebê. As bactérias da cárie são transmissíveis e a chegada dos dentes possibilita sua instalação.

Devemos ficar atentos a quedas e batidas com a boca, comuns quando o bebê começa a dar os primeiros passos, pois podem ser prejudiciais aos dentes permanentes que já iniciam sua formação bem próximos às raízes dos dentes de leite.

Fonte: minhavida.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário